Publicação de Varia e dossier temático “Museus e Participação Biográfica”

Capa do 3.º número da MIDAS
Imagem: Detalhe de intervenção, exposição Museu em Ruínas, Museu de Arte Contemporânea de Elvas, 2011 © Alexandre Farto aka Vhils. Arranjo gráfico da capa, por Elisa Noronha Nascimento

O terceiro número da revista MIDAS acaba de ser publicado. Este número incorpora a secção Varia e o dossier temático  «Museos y Participación Biográfica: Introduciendo lo personal como alternativa a lo hegemónico», sob a coordenação de María Acaso e Andrea De Pascual, além das secções habituais: notações (pequenos artigos) e recensões críticas; cuja estrutura se irá manter nos próximos números.

Para a secção Varia foram selecionados cinco artigos de temáticas diversas. Os dois primeiros textos incidem sobre museus de arte contemporânea. No caso de Elisa N. Nascimento, o artigo resulta da sua tese de doutoramento, um estudo em torno de três estudos de caso: o Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea (MNAC), o Museu de Arte Contemporânea de Serralves e o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP), no Brasil. E Emília Ferreira traça o percurso e o trabalho desenvolvido pela Casa da Cerca-Centro de Arte Contemporânea, em Almada. O artigo de Teresa Azevedo também se insere no contexto dos museus de arte, ainda que a autora reflicta sobre a noção de atelier de artista e a sua musealização. Rui Mourão cruza a arte e a antropologia a partir do estudo das danças de Carnaval da ilha da Terceira, e do qual resultou uma exposição que passou por vários museus. Por fim, Irene Vaquinhas analisa o desenvolvimento dos museus da mulher no contexto internacional.

O dossier temático inclui quatro artigos e um texto introdutório das coordenadoras. Como referem María Acaso e Andrea De Pascual:

«En el conjunto de artículos de este dossier temático de la revista MIDAS se pueden encontrar otras metodologías para el diálogo y el empoderamiento, formas transformadoras de comisariado, producción cultural y del uso de la exposición como dispositivo, estrategias enfocadas a la incorporación de diferentes voces y biografías en el discurso institucional que derrumban la antigua hegemonía cultural y abren paso a nuevas identidades culturales en el museo. Ya en el 2011 Acaso lanzaba la pregunta “¿cómo cambiar el paradigma modernista en el que la educación se encuentra anclada y conectar con la realidad social posmoderna, transformando el museo de meta a micronarrativa?”» (parágrafo 10)

Em «Un quehacer cotidiano», David Lanau e Eva Morales dão a conhecer um projecto de mediação cultural em que se deu relevo e importância à incorporação e produção de conhecimento pelos participantes nas visitas guiadas da exposição homónima. Luciano Buchmann, em «Escolares nos Museus» reflecte sobre as visitas escolares nos museus brasileiros e sobre a necessidade de repensar a relação entre estudantes, museus e professores. O artigo «Ocupe o museu» de Manuelina Cândido e Nei Clara de Lima reflecte sobre a participação da população na concepção e no desenvolvimento de uma exposição no sentido de uma museologia mais participativa e inclusiva. Por último, «O projeto picar o ponto» de Roberto Leite e Célia Tavares apresentam o trabalho desenvolvido no âmbito da recolha de memórias dos antigos trabalhadores da Fábrica Robinson (Portalegre), entretanto musealizada.

A secção Notações incorpora três projectos em curso. LUPA é um projecto educativo que está a ser desenvolvido na cidade de Castelo Branco; e o projecto Do Museu ao Bairro promove a relação entre os habitantes do Bairro da Madragoa (Lisboa) e o Museu das Comunicações. Por fim, o Entroncamento de Histórias do Museu Nacional Ferroviário (Entroncamento) dá conta do processo de recolha de memórias de antigos operários ligados aos caminhos de ferro.

Na secção de recensões críticas destacam-se seis publicações ligadas à museologia e ao património no contexto nacional e internacional.

Todos os textos e artigos estão disponíveis na íntegra no website da revista: http://midas.revues.org.

Colaborações neste número: Elisa Noronha Nascimento (arranjo gráfico capa), Cristina Oliveira (conteúdos website) e Inês Fialho Brandão (revisão inglês).

MIDAS n.º 1 e n.º 2 online

Anunciamos que os dois primeiros números da MIDAS já foram publicados online. Esta dupla edição resulta de um apelo a artigos lançado em março de 2012. Atendendo ao número elevado de textos recebidos, a equipa decidiu organizar dois números que reúnem artigos de diversas temáticas e geografias (varia).

A partir de “Porto de Mar”, 1740 d.C.-1775 d.C. de Claude Joseph Vernet, Lisboa 2012 © João Ferro Martins Conceção gráfica da capa: Elisa Noronha
A partir de “Porto de Mar”, 1740 d.C.-1775 d.C. de Claude Joseph Vernet, Lisboa 2012
© João Ferro Martins
Conceção gráfica da capa: Elisa Noronha

No primeiro número, da constante reinvenção do museu dão notícia Joana Ganilho Marques, com os Museus Contemporâneos, e Carmen Pérez Almagro, em Las estructuras de Emilio Pérez Piñero en la musealización de dos espacios singulares.

Maria Lúcia de Niemeyer Matheus Loureiro e José Mauro Matheus Loureiro (Documento e musealização: entretecendo conceitos), assim como Marcus Granato e Guadalupe do Nascimento Campos (Teorias da Conservação e desafios relacionados aos acervos científicos) colocam o enfoque na transdisciplinaridade dos museus, quer em relação à definição de conteúdos, quer no que concerne aos critérios de conservação.

Com Joana d’Oliva Monteiro retoma-se a noção do museu enquanto exposição – A Natureza-Morta na EuropaSegunda parte: séculos XIX-XX (1840-1955), que esteve patente no Museu da Fundação Calouste Gulbenkian em 2010.

A Museologia enquanto objeto de estudo e a literatura museológica são também motivo de reflexão, designadamente para Irene Vaquinhas (A museologia como campo de estudo nas universidades portuguesas: esboço de evolução, pertinência e atualidade) e Jesús Pedro Lorente (Revistas museológicas en la actualidad: una panorámica global).

Nas recensões críticas merecem destaque os livros: Museu Etnográfico da Madeira (2009), por Luís Pequito Antunes, Expositions universelles, musées techniques et societé industrielle (2010), por João Paulo Martins, Coleções científicas luso-braileiras: património a ser descoberto (2010), por Pedro Casaleiro, e, finalmente, Le musée: entre la recherche et l’enseignment (2012), por João Pedro Fróis.

Pode ler os diferentes textos aqui: http://midas.revues.org/71 ( 1- 2013 Varia)

"Modo de Emprego #1", Catarina Botelho, Lisboa, 2012 Créditos da imagem:  © Catarina Botelho Créditos fotográficos:  Amélia Julio, 2012 Conceção gráfica da capa: Elisa Noronha
“Modo de Emprego #1”, Catarina Botelho, Lisboa, 2012
Créditos da imagem: © Catarina Botelho
Créditos fotográficos: Amélia Julio, 2012
Conceção gráfica da capa: Elisa Noronha

Identidade, comunidade e património fazem os destaques do segundo número da MIDAS. Abre com uma reflexão sobre o envolvimento dos públicos na construção museal e a problemática social da mediação, por Genoveva Oliveira, a que se segue a contribuição de Celina B. Pinto sobre o património cultural imaterial no Museu das Terras de Miranda, que procura estreitar laços com a comunidade, fazendo a ponte entre a cultura material e imaterial. Este tema é reforçado pelas três recensões na mesma temática que representam a tendência crescente a nível internacional deste novo enfoque: Intangible heritage and the museum: new perspectives on cultural preservation, por Ana Carvalho, Património cultural imaterial: Convenção da UNESCO e seus contextos, por Elsa Peralta, e Os museus e o património cultural imaterial: estratégias para o desenvolvimento de boas práticas“, por Ana Botas. Acresce a recensão de Irene Vaquinhas sobre o livro de Amado Mendes, que articula as questões do património (num contexto mais alargado) com a museologia e a educação.

No campo da identidade e da relação com a comunidade, Renata R. dos Santos, reflete sobre o Museu de Arte de Espírito Santo, em Vitória (Brasil), o último museu de arte das capitais brasileiras,  abordando os aspetos da programação e da ação educativa. Ainda do Brasil, Bianca G. de Souza e Eduardo I. Murguia, trazem uma reflexão sobre a cultura material, os objetos votivos do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida (Estado de São Paulo), e o significado social e simbólico que adquirem na sua passagem pela sala das promessas.

Este número inclui ainda uma análise do impacto da “nova museologia” nos museus argentinos, tendo como base o Museo Itinerante del Barrio de la Refineria, na cidade de Rosário (Santa Fé), por Horacio Zapata, Leonardo C. Simonetta e María L. Mansilla.

Outro tema sobre acessibilidade de grupos minoritários aos museus é abordado por Patrícia R. Martins, a inclusão social e os públicos com deficiência.

Noutro registo destaca-se a história da museografia em torno dos Painéis de S. Vicente no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA) e novas formas de interpretação na sua condição de ícone da Portugalidade, por Paula André e outros autores.

Em Notações, um espaço da revista dedicado a textos diversos menos extensos, inclui-se o monstro “bicorpóreo Eborense”, uma biografia de um “objecto” do séc. XVIII, por Luís Ceríaco, e notícias sobre o projeto de “Fontes para a História dos Museus de Arte em Portugal” (por Luís Soares, Joana Baião e Leonor Oliveira), que atualmente já se encontra em fase de conclusão, com livro a ser editado pelo IHA.

Todos os textos estão disponíveis aqui: http://midas.revues.org/192 ( 1- 2013 Varia)

A revista terá ISSN. O pedido está em curso.

revistamidas

Este é o blogue da revista MIDAS, uma revista dedicada aos museus, enquanto campo de trabalho e reflexão interdisciplinar. Trata-se de uma publicação com arbitragem científica, de carácter semestral e de livre acesso. Este blogue publica informações sobre a revista (ex. chamadas para artigos, lançamento de novos números e outros eventos.

Este es el blog de la revista MIDAS, una revista dedicada a los museos, como campo de trabajo y reflexión interdisciplinar. Se trata de una publicación científica semestral con sistema de peer-review y en forma electrónica. Este blog publica información sobre la revista (por ejemplo, las llamadas de artículos, nuevos números y otros eventos.

This is MIDAS journal blog, a journal dedicated to museums, as a field of interdisciplinary work and reflection. This is a peer reviewed academic journal and is open access, published two times a year. The blog publishes information about the journal (ex. Call for papers; new issues and other events.